Imprimir

A Solenidade do Sagrado Coração de Jesus é a festa do amor

Publicado em .

scjesus2016Nesta primeira sexta-feira do mês de junho, celebramos o Sagrado Coração de Jesus, mas é aos pés da cruz que nasce esta devoção. É do coração de Jesus transpassado pela lança do soldado que jorra a graça da conversão e da cura. É naquele momento que transborda o amor de Jesus para todos nós.

Quando o soldado romano transpassa o coração do crucificado, dali jorra sangue e água (Jo 19,34). Sangue e água que respingam no soldado e curam suas doenças do corpo e da alma. Sua vida é transformada naquele momento e ele reconhece Jesus como verdadeiramente o Filho de Deus.

Foi tão grande a manifestação do amor de Jesus na cruz, que no momento em que seu coração era ferido pela lança, o soldado se converte, reconhece o Cristo de Deus e se deixa amar por Ele. Sua vida é transformada e nele transborda a fé e o amor de Deus.

Ele testemunha a morte de Jesus, mas testemunha principalmente a vitória do amor de Deus pelos homens e leva este testemunho pelo resto de sua vida. Oferece sua vida para testemunhar Jesus. Caminha com Jesus até o fim de seus dias na alegria do perdão recebido aos pés da cruz.

Hoje somos convidados a celebrar o amor. Somos convidados a olhar para o Sagrado Coração de Jesus e nos deixar tocar por Ele, por seu amor que cura o corpo e a alma.

Nesta primeira sexta-feira de junho, celebramos o amor, o perdão, a cura. Recebemos o amor de Deus e nos deixamos amar por Ele.

É o perdão incondicional que Jesus nos concede por amor, que somos convidados a celebrar nesta Santa Missa.

“Isso pode parecer uma heresia, mas é a grande verdade! Mais difícil que amar a Deus é deixar-se amar por Ele! A maneira de retribuir tanto amor é abrir o coração e deixar-nos amar. Deixar que Ele se faça próximo a nós, deixar que ele nos acaricie. É tão difícil deixar-nos amar por Ele. Talvez isso é o que devemos pedir hoje na Missa: ‘Senhor, eu quero amá-Lo, mas me ensine a difícil ciência, o difícil hábito de deixar-nos amar, de senti-Lo próximo e terno!’. Que o Senhor nos dê esta graça!” (Papa Francisco)

Por Lucia Maria da Silva