Imprimir

Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, história e devoção

Publicado em .

Leia mais:Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, história e devoção(Comemoração: 27 de Junho)

O Quadro

Pouco se sabe a respeito da autoria artística do quadro de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, apesar de conhecidíssimo pelos católicos do mundo inteiro. Segundo especialistas, há forte indício que o artista seja grego, pois as inscrições estão neste idioma. Esta pintura deve ter sido executada no período compreendido entre os séculos XIII e XIV.

Imprimir

Santa Margarida e o Coração de Jesus

Publicado em .

Leia mais:Santa Margarida e o Coração de JesusJesus se revela a Santa Margarida Maria Alacoque, religiosa da Ordem da Visitação, no mosteiro de Pary-le-Monial na França, levando-a ao culto ao seu Sagrado Coração.

A primeira revelação de Jesus a Santa Margarida Maria Alacoque aconteceu na festa do discípulo amado, João, em 27 de dezembro de 1773. Santa Margarida experimentou a mesma graça de recostar sua cabeça no peito de Jesus e d’Ele poder ouvir: “O meu coração está tão apaixonado de amor pelos homens que, já não podendo conter dentro de si as chamas da sua ardente caridade, vê-se obrigado a expandi-las por teu intermédio e a manifestar-se, a fim de enriquecê-los dos seus preciosos tesouros e das graças de que necessitam, para evitarem a eterna perdição. E acrescentou: Eu te escolhi como um abismo de indignidade e ignorância para a realização de tão grande desígnio, a fim de que seja tudo feito por mim mesmo.” Em seguida disse: “Aqui tens um precioso penhor do meu afeto. Encerro no teu peito uma centelha das chamas mais vivas do meu amor, para te servir de coração e consumir-te até o ultimo momento. Até aqui tiveste o nome de minha escrava; de hoje em diante, chamar-te-ás a discípula predileta do meu Coração.”

O Coração de Jesus, misericordioso por excelência, é este abrigo de nossas almas. Nele acontece o encontro da nossa miséria com a Sua Misericórdia que nos salva, cura e liberta. Este coração que se deixou transpassar e se derramou em sangue e água, por amor, é o lugar do nosso repouso.

Jesus conhecia nossos pecados e sabia o quanto precisaríamos viver este processo de termos para onde voltar. É para o Sagrado Coração que devemos voltar e, nele perdoados, podemos recomeçar. Devemos desejar termos um coração purificado, para assemelharmos nosso coração ao de Jesus e assim sermos capazes de amar até a última gota de amor.

Na segunda aparição: “Pediu-lhe duas coisas, para dispô-la ao cumprimento dos seus desígnios: em primeiro lugar, que comungasse todas as primeiras sextas-feiras de cada mês, para reparar as injúrias que recebia no SS. Sacramento; em segundo lugar, que se levantasse todas as semanas na noite de quinta para sexta-feira, entre as onze e a meia noite e se prostrasse durante uma hora com a face a terra, em expiação de todos os pecados dos homens e para consolar o seu coração deste sensível abandono, do qual o sono dos Apóstolos no Jardim das Oliveiras, era apenas um ligeiro anúncio e uma pálida imagem.”

Somos chamados também a vivermos um ato de reparação ao Coração de Nosso Senhor que continua sendo ferido pelo pecado da humanidade. Amá-Lo por aqueles que não O amam, assim como fez Santa Margarida.

Na terceira aparição pede Jesus: “É por isso que te peço que, na primeira sexta-feira depois da oitava do SS. Sacramento (Corpus Christi), seja-me dedicada uma festa particular para honrar o meu coração, participando, naquele dia, da Santa comunhão, e fazendo honrosa emenda e reparação decorosa pelas indignidades que ele recebe. E eu te prometo que o meu coração se dilatará para expandir com abundância as riquezas do seu amor sobre todos aqueles que lhe prestarem essa honra ou procurarem que por outrem lhe seja prestada.”

Assim surge do próprio querer de Jesus, a Festa ao Seu Sagrado Coração, sendo instituída universalmente pelo Papa Pio IX em 1856.

A adoração ao Sagrado Coração faz parte da Doutrina da Igreja Católica, como escreve o Papa Pio XII, na encíclica Haurietis Aquas: “Inumeráveis são as riquezas celestiais que nas almas dos fiéis infunde o culto tributado ao sagrado coração, purificando-os, enchendo-os de consolações sobrenaturais, e excitando-os a alcançar toda sorte de virtudes. Portanto, tendo presentes as palavras do apóstolo são Tiago. “Toda dádiva preciosa e todo dom perfeito vem do alto e desce do Pai das luzes” (Tg 1, 17), neste culto, que cada vez mais se incende e se estende por toda parte, com toda razão, podemos considerar o inapreciável dom que o Verbo encarnado e salvador nosso, como único mediador da graça e da verdade entre o Pai celestial e o gênero humano, concedeu à sua mística esposa nestes últimos séculos, em que ela teve de suportar tantos trabalhos e dificuldades.” e em Santa Margarida encontra ímpeto para ser propagada.

O Coração de Jesus, humano e também divino, é uma fonte inesgotável de amor que jorra sobre toda a humanidade, por cada um de nós. Com confiança neste Amor verdadeiro, somos sustentados a cada dia. E, desejosos de termos um coração semelhante ao de Jesus, conseguiremos viver o Amor que Ele nos ensina nos tornando homens e mulheres novos.

Jesus, manso e humilde de coração, fazei o nosso coração semelhante ao Vosso!

Por: Maria Clara Olea, Comunidade Canção Nova
Fonte: Santuário Canção Nova

Imprimir

Abra seu Coração

Publicado em .

Leia mais:Abra seu CoraçãoA sala estava repleta de convidados, todos curiosos para ver a obra de arte, ainda oculta sob o pano branco.

Falava-se que o quadro era lindo.

As autoridades do local estavam presentes, entre fotógrafos, jornalistas e outros convidados, porque o pintor era, de fato, muito famoso.

Na hora marcada, o pano que cobria a pintura foi retirado e houve caloroso aplauso. O quadro era realmente impressionante.

Tratava-se de uma figura exuberante de Jesus, batendo suavemente na porta de uma casa.

O Cristo parecia vivo. Com o ouvido junto à porta Ele desejava ouvir se lá dentro alguém respondia.

Houve discursos e elogios. Todos admiravam aquela obra de arte perfeita.

Contudo, um observador curioso achou uma falha grave no quadro: a porta não tinha fechadura. Dirigiu-se ao artista e lhe falou com interesse: a porta que o senhor pintou não tem fechadura. Como é que O Visitante poderá abri-la?

É assim mesmo, respondeu o pintor calmamente.

A porta representa o coração humano, que só abre pelo lado de dentro.

Muitas vezes, mal interpretado, outras tantas, desprezado, grandemente ignorado pelos homens, o Cristo vem tentando entrar em nossa casa íntima há mais de dois milênios.

Conhecedor do caminho que conduz à felicidade suprema, Jesus continua sendo a visita que permanece do lado de fora dos corações, na tentativa de ouvir se lá dentro alguém responde ao seu chamado.

Todavia, muitos o chamamos de Mestre, mas não permitimos que Ele nos ensine as verdades da vida…

Grande quantidade de cristãos, falam que Ele é o médico das almas, mas não seguem as prescrições Dele…

Fonte: cleofas.com.br

Imprimir

A Imaculada Conceição de Maria

Publicado em .

Leia mais:A Imaculada Conceição de MariaA festa de hoje, Imaculada Conceição de Maria, desafia a inteligência dos mais sábios. A sociedade atual não consegue compreender e não encontra lógica que explique uma concepção como a descrita pelo Novo Testamento e esperada desde o Antigo Testamento, “eis que uma virgem dará à luz”. No entanto, para Deus que do nada criou todas as coisas, não seria um feito relativamente simples?

Para crer é preciso escolher ter fé. Maria é o exemplo maior de fé. Ela vem, numa sociedade corrompida por tantas opiniões e crenças, buscar livremente no Deus verdadeiro e na promessa a base de sua fé. Sim, a Imaculada Conceição é um ato de fé. Foi preciso encontrar entre todos os viventes uma mulher de fé perfeita para que a obra de salvação pudesse nos alcançar.

Nossos primeiros pais romperam com Deus uma relação de confiança e fé total. Preferiram outro caminho: o da autossuficiência. Preferiram acreditar que não precisavam de Deus. Maria vem restaurar esta relação ao se tornar um “nada” nas mãos de Deus, para que a exemplo do nada absoluto do qual Deus tudo criou, do “nada” de Maria o Homem Perfeito pudesse ser encarnado.

A exemplo de Maria que desafiou a sociedade em que vivia com sua fé e ainda hoje desafia nossa sociedade autossuficiente, depender totalmente de Deus e se entregar em suas mãos obedecendo e crendo totalmente não é estar ausente das coisas deste mundo. É viver seu tempo e estar em sintonia total com o Deus que tudo pode, e desafia as leis humanas. É crer que o impossível pode acontecer na nossa vida.

Por Lúcia Maria
Pastoral da Comunicação

Imprimir

Se reza o Rosário com frequência, estes conselhos te ajudarão a aperfeiçoar este hábito

Publicado em .

Leia mais:Se reza o Rosário com frequência, estes conselhos te ajudarão a aperfeiçoar este hábitoEm poucos dias terminará o mês do Rosário, no qual muitos católicos redescobrem esta oração preferida da Virgem Maria, fortalecem sua vida espiritual e contam com graças especiais.

Por isso, a fim de continuar aperfeiçoando o hábito desta oração, contemplando Jesus através da Virgem Maria, apresentamos 7 conselhos práticos para aprofundar na oração do Rosário, tirados do livro “O Rosário: Teologia de joelhos”, do sacerdote, escritor e funcionário da Secretaria de Estado do Vaticano, Mons. Florian Kolfhaus:

1. Dedicar o tempo necessário para rezá-lo

Nossos calendários estão cheios de compromissos. Entretanto, é bom reservar de 20 a 30 minutos por dia para a oração do Santo Rosário. Este encontro com Jesus e Maria é muito mais importante que as demais atividades agendadas.

Este tempo de oração é reservado para nós mesmos, porque é um tempo no qual devemos nos dedicar somente para amar. É possível reservar dois ou três dias da semana para a oração do Rosário e, desta forma, será cada vez mais fácil fazer esta oração, até finalmente poder rezá-la todos os dias.

2. Saber que rezamos para alguém

Uma boa oração está baseada em orientar completamente à vontade a agradar o nosso querido amigo, Cristo, e não a nós mesmos.

3. Fazer pausas para nos concentrarmos

Santo Ignácio de Loyola recomenda a chamada “terceira forma de rezar” para adaptar as palavras ao ritmo da própria respiração.

Normalmente, é suficiente interromper um mistério do Rosário para voltar a ser consciente de que Jesus e Maria nos olham cheios de alegria e amor. Para isto, pode ser útil respirar duas ou três vezes, antes de voltar a retomar a oração.

4. Dirigir os nossos pensamentos aos mistérios

Podemos e devemos “desviar” os pensamentos para encontrar o mistério que devemos visualizar na nossa mente antes de cada dezena do rosário.

É pouco provável que a repetição seja útil se não for encaminhada várias vezes para o essencial, que é a vida de Jesus e de Maria.

5. Fazer da oração um momento para compartilhar com Cristo

Um dos primeiros e mais importantes passos para a oração interior é não só nos dedicarmos a pensar e a meditar, mas olhar para aquele a quem está dirigida a nossa prece.

Saber que, aquele a quem nos dirigimos nos ama infinitamente e despertará em nós diversos e espontâneos sentimentos, assim como quando desfrutamos e nos alegramos com uma pessoa que gostamos muito.

6. Fechar os olhos ou simplesmente fixá-los em um só lugar

Algumas pessoas fecham os olhos a fim de se concentrar e rezar melhor. Isso pode ser uma ajuda, mas normalmente é suficiente fixar o olhar em um só lugar e evitar olhar ao redor. De qualquer maneira, é importante que os olhos do coração estejam sempre abertos.

O Rosário é como uma visita ao cinema. Trata-se de ver imagens. Algumas perguntas básicas podem ser de utilidade: O que, quem, como, quando, onde? Como vejo o nascimento de Jesus, sua crucificação, sua ascensão.

Às vezes, posso – como se tivesse uma câmara – aproximar elementos ou detalhes e procurar um primeiro plano: a mão de Cristo transpassada pelos pregos, as lágrimas nos olhos do apóstolo João enquanto o Senhor subia aos céus, etc.

7. Que a intenção de rezar sempre seja o amor

As palavras acompanham, nossa mente se dispõe, mas o nosso coração deve dominar a oração.

Todos os grandes escritores espirituais concordam que a oração interior atinge principalmente nossos sentimentos e emoções.

Santa Teresa D’Ávila explica de maneira simples: “Não pense muito, ame muito!”. Em uma ocasião, uma senhora me contou que não conseguia pensar em rezar o Rosário todos os dias, mas a única coisa que conseguia dizer interiormente era: ‘Jesus, Maria, eu os amo!’. Parabenizo a esta mulher, pois a tal resultado a oração do Rosário nos deve levar.

Fonte: acidigital.com