Imprimir

Nossa Senhora da Cruz

Publicado em .

testemunho rafael batistaEm toda a Sagrada Escritura a forma encontrada por Deus para falar com os profetas era através de visões, isto se dava, na maioria das vezes, através de sonhos. Foi assim com Jacó, que após o sonho no qual lutava com um anjo passou a se chamar Israel (Gn 32, 24-31). Foi assim com Daniel, com José do Egito e tantos outros profetas.

José de Nazaré o Pai de Jesus também teve experiências com Deus através do sonho. Foi durante a noite que o Arcanjo Gabriel apareceu a José e confirmou que Maria estava gerando o Filho de Deus, também através de sonho o esposo de Maria ficou sabendo dos planos de Herodes para matar Jesus e assim puderam fugir (Mt 1, 20ss).

O testemunho que quero narrar nesta oportunidade também se deu em sonho e foi através daquela que temos como Mãe da humanidade que Deus me falou. Sempre tive em Maria um espelho da bondade de Deus, uma vez que ela sendo humana como qualquer um de nós não hesitou em responder sim a Deus e assim fazer parte do seu projeto de salvação para a  humanidade. A história de Nossa Senhora é tão bela que parece que ela não teve nenhum desafio ou provação durante o tempo que caminhou nesta terra.

Certe noite eu fui me deitar preocupado com alguns problemas pessoais e também pastorais, a saber, a vida em comunidade é muito bonita, mas não é fácil. Portanto, ao refletir sobre aquela série de problemas que me atormentava cheguei a conclusão de que era momento de parar um pouco, deixar o serviço pastoral para que eu pudesse assim resolver outros problemas pessoais. E com esse firme propósito acabei adormecendo.

Foi aí que a ação de Deus me surpreendeu e durante o sonho vi aquela Virgem tão meiga e singela crucificada no lugar de seu Filho. No sonho fiquei assustado com aquela imagem tão incomum e indaguei para aquela Senhora o porquê de tal imagem, surpreendentemente Maria voltou o seu olhar para mim e disse: “Filho, quando aquele anjo me apareceu e fez tão ousada proposta, ao dizer-lhe sim foi isto que eu escolhi. Eu sabia que meu sofrimento não terminaria enquanto eu não entregasse meu filho à morte. E como doeu vê-lo naquela cruz...”

Quando acordei as lágrimas tomaram conta de meu rosto, uma mistura de sentimentos e sensações assaltaram meus pensamentos. Era como se ouvisse o velho Simeão dizendo para a Mãe de Jesus: “E quanto a ti, Mulher, uma espada transpassará tua alma” (Lc 2, 51b). Agora eu sei que nada me resta a não ser passar pelas minhas provações e, assim como Maria, guardar todas as coisas no coração.

“A linguagem da cruz é loucura para os que se perdem, mas para os que foram salvos, para nós, é uma força divina.” (1Cor 1,18)

Depoimento enviado por Rafael Batista (Grupo de Jovens Restauração)