Imprimir

A alegria do Evangelho para uma Igreja em saída

Publicado em .

Leia mais:A alegria do Evangelho para uma Igreja em saídaOutubro é o Mês das Missões, um período de intensificação das iniciativas de animação e cooperação missionária em todo o mundo. O objetivo é sensibilizar, despertar vocações missionárias e realizar a Coleta no Dia Mundial das Missões, penúltimo domingo de outubro (este ano dias 21 e 22), conforme instituído pelo papa Pio XI em 1926.“A alegria do Evangelho para uma Igreja em saída”. Este é o tema escolhido pelas Pontifícias Obras Missionárias (POM) para a Campanha Missionária de 2017. É o mesmo o tema do 4º Congresso Missionário Nacional, que acontecerá nos dias 7 a 10 de setembro em Recife (PE).

Imprimir

Envio de jovens para o serviço do altar

Publicado em .

Leia mais:Envio de jovens para o serviço do altarNo último domingo, dia 24 de setembro, 22 jovens de nossa Paróquia foram enviados para o serviço de Acólitos. A partir de agora eles têm a missão de auxiliar o Padre e os demais membros da assembleia litúrgica no serviço do altar.

Boa parte dos que foram enviados já prestam serviço em outros movimentos da comunidade: são catequistas, músicos, agentes da pastoral da comunicação, membros de grupos de jovens, entre outros. Ou seja, o serviço ao altar é apenas uma consequência dos ministérios que já exercem na Paróquia Cristo Rei.

Imprimir

Mais uma Missa da Misericórdia

Publicado em .

Leia mais:Mais uma Missa da MisericórdiaNa última quinta-feira, dia 14 de setembro, Festa da Exaltação da Santa Cruz, celebramos mais uma Missa da Misericórdia. Impulsionados pelo apelo do Papa ao convocar toda a Igreja a celebrar o Jubileu da Misericórdia em 2016, iniciamos há pouco mais de um ano este projeto de levar a Misericórdia Divina a todos os recantos desta Paróquia.

Se fóssemos listar aqui todas as graças alcançadas com certeza teríamos um livro com as mais belas histórias de cura, libertação, reconciliação e amor. São muitos os testemunhos das graças alcançadas pelo contato com Jesus presente, vivo e verdadeiro na Eucaristia.

Imprimir

Brasil: estabelecido o Dia Nacional do Perdão

Publicado em .

Leia mais:Brasil: estabelecido o Dia Nacional do PerdãoA partir deste ano, 30 de agosto será lembrado como o Dia Nacional do Perdão. A lei que institui a data foi sancionada dia 19 de agosto pelo presidente Michel Temer e publicada dia 20 do mesmo mês no Diário Oficial da União.

O projeto de lei foi aprovado em abril de 2015 na Câmara dos Deputados e no último dia 28 nos Senado Federal. A deputada Keiko Ota (PSB-SP), autora do texto, escolheu a data em alusão ao dia da morte de seu filho, Ives Ota, sequestrado e assassinato aos 8 anos.

Na justificativa para o PLC 31/2015, Keiko afirma que o objetivo é propor uma reflexão sobre o tema, além de ressaltar a luta de diversos movimentos sociais e parentes por justiça. Ela e o marido, Masataka Ota, fundaram, em 1997, o Movimento Paz e Justiça Ives Ota.

“Lembro a memória de meu filho, Ives Ota, sequestrado e assassinado brutalmente aos 8 anos. Eu e meu marido, Masataka Ota, perdoamos aqueles que causaram esse mal à minha família”, destacou a deputada.

Entenda o caso

Ives Ota foi sequestrado em casa, na zona leste de São Paulo, em agosto de 1997. Por ter reconhecido um dos homens, que era policial militar e fazia bico como segurança em uma loja da família, o garoto foi morto na madrugada do dia seguinte. Mesmo depois da execução, o grupo continuou negociando o resgate. Os três envolvidos no caso foram condenados.

Na Audiência Geral, dia 21 de setembro de 2016, na Praça São Pedro (Roma), o Papa Francisco disse que “perdoar é o primeiro pilar que sustenta a comunidade cristã”. O segundo, segundo o pontífice, é doar-se. Estar disposto a doar-se obedece a uma lógica coerente: na medida em que se recebe de Deus, se doa ao irmão, e na medida em que se doa ao irmão, se recebe de Deus”, disse.

Publicado origalmente em: cnbb.net.br

Imprimir

CNBB divulga nota de repúdio ao Decreto Presidencial que extinguiu área de preservação ambiental na Amazônia

Publicado em .

Leia mais:CNBB divulga nota de repúdio ao Decreto Presidencial que extinguiu área de preservação ambiental...A Rede Eclesial Pan-Amazônica (Repam) divulgou nota nesta segunda-feira, 28, na qual repudia a extinção da Reserva Nacional de Cobre e Associados (Renca), feita pelo Governo Federal na última quarta-feira. No texto, o organismo vinculado à Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) considera que o decreto baixado pelo Executivo “vilipendia a democracia brasileira, pois com o objetivo de atrair novos investimentos ao país o Governo brasileiro consultou apenas empresas interessadas em explorar a região”.

De acordo com a Repam, nenhuma consulta aos povos indígenas e comunidades tradicionais foi realizada, como manda o Artigo 231 da Constituição Federal de 1988 e a Convenção 169, da Organização Internacional do Trabalho (OIT). “O Governo cede aos grandes empresários da mineração que solicitam há anos sua extinção e às pressões da bancada de parlamentares vinculados às companhias extrativas que financiam suas campanhas”, lê-se no texto.

A manifestação da Repam ainda cita como consequências à extinção da área o aumento do desmatamento; a perda irreparável da biodiversidade; a impossibilidade de garantir a proteção da floresta, das unidades de conservação e das terras indígenas; além de representar uma ameaça política para o Brasil inteiro, “impondo mais pressão sobre as terras indígenas e Unidades de Conservação”.